Algas

Voltar

As algas são organismos encontrados em todo o planeta. Elas são muito importantes para a respiração dos animais, já que geram boa parte do oxigênio da Terra por meio da fotossíntese. Elas são mais comuns em oceanos, rios, lagos, riachos, lagoas e pântanos, entretanto algumas espécies vivem no solo ou sobre folhas, madeira e pedras. As algas marinhas se parecem com plantas, mas na realidade são organismos bem menos complexos, diferindo das plantas em inúmeros quesitos: elas não têm caule e nem folhas, não apresentam tecidos ou raízes verdadeiras, além disso não apresentam flores nem sementes. De fato, algas não são plantas nem animais, elas pertencem a um grupo de seres vivos chamados protistas.

Grupos de algas

As algas são classificadas em alguns grupos de acordo com sua forma e comportamento:

Clorofíceas: As clorofíceas também são chamadas de algas verdes e são o grupo mais numeroso e diversificado de algas, considerados os ancestrais das plantas. As clorófitas habitam os mais diversos ambientes, porém a maioria é de água doce, formando a maior parte do plâncton de água doce. Os representantes marinhos são bentônicos (vivem no substrato do ambiente aquático) e os representantes terrestres podem viver sobre troncos ou barrancos úmidos, outros em camadas de gelo nos polos.

Volvox globator, uma espécie de clorofíceas ou algas verdes
Volvox globator, uma espécie de clorofíceas ou algas verdes

Euglenofíceas: Também conhecidas como algas euglenóides, esses organismos são fotossintetizantes, porém, quando colocados em ambientes com ausência de luz, eles se comportam como organismos heterotróficos. Estudos moleculares sugerem que os primeiros organismos euglenóides fagocitavam partículas sólidas e, portanto, eram heterótrofos. O hábito alimentar explica a preferência pelos locais que habitam, sendo encontradas em ambientes de água doce rico em matéria orgânica, em água salobra e solos úmidos.

Os euglenóides são unicelulares e utilizam flagelos para se movimentarem
Os euglenóides são unicelulares e utilizam flagelos para se movimentarem

Feofíceas: São algas pardas e apresentam o porte mais avantajado entre todas as algas. Existem cerca de 1.500 espécies registradas de algas pardas, as quais habitam quase que predominantemente ambientes marinhos, apesar de algumas aparecerem fixas a costões rochosos, principalmente em regiões árticas.

Fotografia de uma espécie de alga parda
Fotografia de uma espécie de alga parda

Rodofíceas: São as algas vermelhas e algumas estão relacionadas à produção de meios de cultura bacteriana como o ágar. Existem cerca de 6.000 espécies registradas de algas vermelhas, as quais habitam quase que predominantemente ambientes marinhos, entretanto algumas são capazes de habitar fontes termais ácidas.

Fotografia de uma espécie de alga vermelha
Fotografia de uma espécie de alga vermelha

Diatomáceas: Abundantes no fitoplâncton e apresentam envoltório celular de sílica.

Fotografia microscópica de uma espécie de diatomáceas chamada de Surirella
Fotografia microscópica de uma espécie de diatomáceas chamada de Surirella

Pirrofíceas: São denominados de dinoflagelados e também abundantes no fitoplâncton. Alguns estão relacionados à morte de diversos organismos, devido à liberação de suas toxinas, fenômeno conhecido como maré vermelha.

Os dinoflagelados são microscópicos e fazem parte do fitoplâncton
Os dinoflagelados são microscópicos e fazem parte do fitoplâncton

Características das algas

Todas as algas são organismos eucariontes e podem se apresentam em grupos unicelulares, como as euglenofíceas e as clorofíceas, e em grupos pluricelulares como feofíceas e rodofíceas. Todas as algas são autotróficas fotossintetizantes e apresentam organelas como os plastos, os quais contém clorofila e outros pigmentos que auxiliam na fotossíntese. Outra característica importante das algas é a presença de parede celular ou carapaça, porém o constituinte destas paredes variam de espécie para espécie. As algas vivem em ambiente úmido e com presença constante de luz, sendo assim os habitats naturais destes seres variam de solo até oceanos e água doce. A reprodução das algas acontece de forma assexuada por meio de divisão binária ou também ocorre de forma sexuada com troca de material genético.          

As algas e a alimentação

Apesar de nem todas as algas marinhas existentes serem consumidas, boa parte já está inclusa na alimentação humana e de outros animais, como os ruminantes. As algas são alimentos riquíssimos em micronutrientes (vitaminas, minerais e oligoelementos), além de possuírem proteínas com aminoácidos essenciais, carboidratos e pouca gordura.

O uso industrial das algas

As algas, dependendo da espécie, têm a capacidade de produzir as mais diversas substâncias químicas que são utilizadas já há muitos anos nos mais diversos segmentos da Indústria. Algumas rodofíceas sintetizam nutrientes para meios de culturas bacterianas como, por exemplo, os ágars. O diatomito é uma rocha silicosa produzida pela agregação de diatomáceas e são empregadas na produção de filtros, dinamites, polidores de metal e moldes dentários.

Importância ecológicas das algas

As algas são responsáveis pela maior produção de oxigênio no planeta Terra, sendo consideradas os verdadeiros pulmões do mundo. Alguns dinoflagelados possuem a capacidade de produzir toxinas capazes de matar inúmeros seres vivos como peixes, crustáceos e até seres humanos, este fenômeno é conhecido como maré vermelha. Os dinoflagelados matam animais que competem com eles por oxigênio.

Fenômeno da maré vermelha
Fenômeno da maré vermelha
Próxima Bactérias e Archeas, mestres da adaptação

Deixe um comentário