Modernismo no Brasil – Segunda fase

How Can We Help?

Voltar
Você está aqui:

A segunda fase do Modernismo (1930-45) é marcada por traços mais ideológicos, se comparada com a primeira. Isso é fortalecido pelos inúmeros fatos no Brasil e no mundo que estavam acontecendo, como a crise da bolsa de Nova Iorque (1929), Revolução de 30 no Brasil, Intentona Comunista (1935), Estado Novo (1937-45), ascensão do nazismo e do fascismo e a Segunda Guerra Mundial (1939-45). Esses acontecimentos exigiam um posicionamento ideológico maior dos artistas, de forte militância política, e assim, as obras dessa época faziam grande crítica aos problemas sociais vividos no Brasil.

Os artistas dessa época buscavam uma linguagem mais brasileira, tinham maior interesse pela vida cotidiana, assim como os da primeira fase. Porém, agora, tinham um enfoque mais direto dos fatos, marcado pelo Realismo-naturalismo do século XIX, e assim surge uma literatura regional, que é caracterizada pela denúncia social. Os temas principais dessa época são: seca, cangaço, fanatismo religioso, coronelismo e a luta pela terra. Se nota em alguns romances equilíbrio entre a abordagem sociológica e a introspecção psicológica.

Principais autores

Graciliano Ramos

Graciliano Ramos
Graciliano Ramos

Suas principais obras: São Bernardo; Angústia; Vidas Secas; Memórias do cárcere;

Características: romancista, retratou a vida do sertanejo nordestino, qualidades universalistas, linguagem simples e rigorosa.

Rachel de Queiroz

Rachel de Queiroz 
Rachel de Queiroz

Suas principais obras: O Quinze; Memorial de Maria Moura; As três Marias; Caminho de pedras; João Miguel;

Características: retrata a seca nordestina, denúncia social, linguagem mais próxima da coloquialidade e elementos psicológicos.

José Lins do Rego

José Lins do Rego
José Lins do Rego

Suas principais obras: Menino de engenho; Banguê; Usina; O moleque Ricardo; Cangaceiros; Fogo morto;

Características: romancista, retratou a decadência dos engenhos de cana no Nordeste, trouxe em suas obras as transformações econômicas, sociais e política.

Jorge Amado 

Jorge Amado 
Jorge Amado

Suas principais obras: Capitães de areia; Tieta do Agreste; Gabriela, cravo e canela; O país do Carnaval; Dona Flor e seus dois maridos; Terras do sem-fim; São Jorge dos Ilhéus;

Características: retrata a miséria, a opressão do trabalhador rural e das classes populares, outros temas presentes são: seca, cangaço, coronelismo, aspectos culturais da Bahia, abandonos de criança. Linguagem mais informal, direta e lírica.

Érico Veríssimo 

Érico Veríssimo
Érico Veríssimo

Suas principais obras: Clarissa; Fantoches; Caminhos cruzados; Música ao longe; Um lugar ao sol; Saga; O resto é silêncio; Olhai os lírios do campo; Incidente em Antares; O tempo e o vento;

Características: romancista, faz críticas à vida cotidiana de Porto Alegre, aos valores degradados da sociedade.  Caráter universal, crítica, e engajamento social.

Carlos Drummond de Andrade 

Carlos Drummond de Andrade
Carlos Drummond de Andrade

Suas principais poesias e obras: Poema de sete faces; Alguma poesia; Brejo das almas; Sentimento do mundo; José; Rosa do povo; Infância;

Características: também cronista. Dentro da segunda fase do Modernismo, Drummond passou por duas de suas 4 fases: fase gauche (1930-40) e fase social (1940-45). A primeira fase marcada pelo pessimismo, individualismo, o isolamento, reflexão existencial, ironia e metalinguagem. Enquanto na segunda fase (fase social) predominava o interesse pela vida social, engajada na causa política.

 

Mãos dadas 

Não serei o poeta de um mundo caduco.

Também não cantarei o mundo futuro.

Estou preso à vida e olho meus companheiros.

Estão taciturnos mas nutrem grandes esperanças.

Entre eles, considero a enorme realidade.

O presente é tão grande, não nos afastemos.

Não nos afastemos muito, vamos de mãos dadas.

 

Não serei o cantor de uma mulher, de uma história,

não direi os suspiros ao anoitecer, a paisagem vista da janela,

não distribuirei entorpecentes ou cartas de suicida,

não fugirei para as ilhas nem serei raptado por serafins.

O tempo é a minha matéria, do tempo presente, os homens presentes,

a vida presente.

Estátua Carlos Drummond de Andrade
Estátua Carlos Drummond de Andrade

Murilo Mendes

Murilo Mendes 
Murilo Mendes

Suas principais poesias e obras: Poemas; Bumba-meu poeta; História do Brasil; Tempo e eternidade; Siciliana; Tempo espanhol;

Características: eu-lírico em conflito, metáforas, símbolos, marcas do surrealismo, contrastes entre lucidez e delírio, realidade e mito.

Jorge de Lima

Jorge de Lima
Jorge de Lima

Suas principais poesias e obras: O menino do impossível; Poemas; Poemas negros; O anjo; Calunga; O livro de sonetos; Invenção de Orfeu;

Características: retrata o folclore, a fauna e flora do Nordeste.

 

Democracia

Punhos

de redes embalaram o meu canto

Para adoçar o meu país, ó Whitman.

Jenipapo coloriu o meu corpo contra os maus-olhados,

Catecismo me ensinou a abraçar os hóspedes,

Carumã me alimentou quando eu era criança,

Mãe-negra me contou histórias de bicho,

Moleque me ensinou safadezas,

Massoca, tapioca,pipoca, tudo comi,

Bebi cachaça com caju para limpar-me,

Tive maleita, catapora e ínguas,

Bicho-de-pé, saudade, poesia;

Fiquei aluado, mal-assombrado, tocando maracá,

Dizendo coisas, brincando com as crioulas,

Vendo espiritos, abusões, mães-d água,

Conversando com os malucos, conversando sozinho,

Emprenhando tudo o que encontrava,

Abraçando as cobras pelos matos,

Me misturando, me sumindo, me acabando,

Apara salvar a minha alma benzida

E o meu corpo pintado de urucu,

Tatuado de cruzes, de corações, de mãos ligadas,

De nomes de amor em todas as línguas de branco

De mouro ou pagão

 

Cecília Meireles 

Cecília Meireles
Cecília Meireles

Suas principais poesias: Romanceiro da inconfidência; Vaga música; Mar absoluto e outros poemas; Crônicas em geral;

Características: preocupação com os vocábulos, verso curto, paralelismo sintáticos, mais próxima do neossimbolismo. Temas como vento, natureza, espiritualidade e musicalidade.

 

Despedida 

Por mim, e por vós, e por mais aquilo

que está onde as outras coisas nunca estão,

deixo o mar bravo e o céu tranquilo:

quero solidão.

 

Meu caminho é sem marcos nem paisagens.

E como o conheces? – me perguntarão.

– Por não ter palavras, por não ter imagens.

Nenhum inimigo e nenhum irmão.

 

Que procuras? – Tudo. Que desejas? – Nada.

Viajo sozinha com o meu coração.

Não ando perdida, mas desencontrada.

Levo o meu rumo na minha mão.

 

A memória voou da minha fronte.

Voou meu amor, minha imaginação…

Talvez eu morra antes do horizonte.

Memória, amor e o resto onde estarão?

 

Deixo aqui meu corpo, entre o sol e a terra.

(Beijo-te, corpo meu, todo desilusão!

Estandarte triste de uma estranha guerra…)

 

Quero solidão.

 

Vinícius de Morais 

Vinícius de Morais
Vinícius de Morais

Suas principais poesias e obras: Garota de Ipanema; Operário em construção; Para viver um grande amor; Para uma menina com uma flor; Orfeu da Conceição;

Características: Os temas estão relacionados com o cotidiano e as coisas simples da vida, principalmente, explora o amor, a mulher e o erotismo. A linguagem inicialmente é mais formal, mas no decorrer dos anos torna-se mais leve dentro dos padrões do modernismo.

 

A rosa de Hiroshima 

Pensem nas crianças

Mudas telepáticas

Pensem nas meninas

Cegas inexatas

Pensem nas mulheres

Rotas alteradas

Pensem nas feridas

Como rosas cálidas

Mas oh não se esqueçam

Da rosa da rosa

Da rosa de Hiroshima

A rosa hereditária

A rosa radioativa

Estúpida e inválida.

A rosa com cirrose

A antirrosa atômica

Sem cor sem perfume

Sem rosa sem nada.

Anterior Modernismo no Brasil – Primeira fase
Próxima Quinhentismo

Deixe um comentário