Pontuação

How Can We Help?

Voltar
Você está aqui:

Os sinais de pontuação estão presentes em todos os textos e seu uso adequado é necessário para uma melhor compreensão e interpretação de um texto. O uso inadequado de uma pontuação pode acarretar problemas como incoerência, mudança de sentido e ambiguidade.

Exemplo de frases que modificam seu sentido com a presença da vírgula:

Não queremos ir embora.

Não, queremos ir embora.

 

A linguagem escrita contém os seguintes sinais de pontuação:

  • O ponto ( . )
  • Os dois pontos ( : )
  • As aspas ( “ ” )
  • O travessão ( – )
  • As reticências (…)
  • Os parênteses ( ( ) )
  • O ponto de interrogação ( ? )
  • O ponto de exclamação ( ! )
  • A vírgula ( , )
  • O ponto e vírgula ( ; )

O objetivo desses sinais gráficos são para marcar pausas (o ponto, a vírgula, o ponto e vírgula) enquanto outros assinalam melodia e entonação (ponto de exclamação, ponto de interrogação e reticências)

É importante ressaltar os usos de alguns sinais de pontuação, como mostrado abaixo.

O Ponto

Usado para marcar o final das frases e que denota maior pausa.

Exemplo:

Ontem almocei no melhor restaurante da cidade.

O travessão

Pode ser usado na substituição de vírgulas, parênteses, colchetes, para frases intercaladas. Serve para denotar uma pausa mais forte e também para indicar mudança de interlocutor na transcrição de um diálogo.

Exemplo:

– Havia muita devoção na sua paróquia, sr. Amaro? – perguntava no entanto a condessa.

– Muita, muito boa gente.

(Eça de Queirós. O crime do padre Amaro)

A vírgula

Marca uma pausa e não o fim de um enunciado. De acordo com a gramática normativa, a ordem direta da oração é: sujeito, verbo e complemento. Sendo a ordem indireta qualquer alteração nesta ordem. Assim, toda oração de ordem direta não tem vírgula entre os termos da oração, enquanto na ordem indireta há vírgulas no interior da oração quando há: termos deslocados, termos intercalados, termos coordenados assindéticos (sem conjunção), vocativos, omissão de verbo, aposto e enumeração.

Exemplos:

Naquele dia, o ônibus atrasou. (termo deslocado: “Naquele dia” – adjunto adverbial)

O ônibus atrasou, ou seja, cheguei atrasado ao trabalho. (termo intercalado de caráter explicativo)

Maria, vamos para o cinema! (vocativo)

Adorei passear em Belo Horizonte, capital de Minas Gerais. (aposto)

No período composto, ou seja, quando há mais de uma oração, as orações são separadas por vírgulas nos seguintes casos: as subordinadas substantivas e as subordinadas adverbiais que estão na ordem indireta (oração subordinada + oração principal), as subordinadas adjetivas explicativas, as coordenadas assindéticas e as coordenadas sindéticas (exceto as aditivas, mas as aditivas que tenham sujeitos diferentes têm vírgula).

Exemplos:

Cheguei em casa, comi, tomei banho, assisti televisão e dormi. (orações coordenadas assindéticas)

Como era imaginado por nós, Maria atrasou. (ordem indireta da oração subordinada adverbial)

Manuel, que estava no ponto de ônibus, foi assaltado. (orações subordinadas adjetivas explicativas)

Os parênteses

Usados para fazer comentários, explicações, indicações (cênicas e bibliográficas) dentro do texto.

Exemplo: ” Ela (a rainha) é a representação viva da mágoa (…)”

(Lima Barreto)

Os dois pontos

Empregam-se os dois pontos para dar início a fala ou citação e também para iniciar uma sequência que enumera, identifica, explica ou desenvolve uma ideia anterior.

Exemplo:

Tive uma ótima ideia: estudar mais para minha prova ao invés de sair.

As reticências

Marcam a interrupção da sequência da frase e podem ser usadas para indicar omissão da parte de uma citação, marcar interrupção e nervosismo na fala.

Exemplo:

“(…) nenhuma tinha os olhos de ressaca, nem os de cigana oblíqua e dissimulada.”

(Machado de Assis)

O ponto e vírgula

Marca uma pausa maior que da vírgula e menor que a do ponto. E é utilizado para separar itens de enumeração, além de separar orações coordenadas que já são separadas por vírgulas e orações coordenadas que exprimem o sentido de antítese, ou seja, ideias opostas.

Exemplo:

Muitos estudam; poucos são aprovados.

As aspas

São usadas para destacar uma palavra ou expressão que são comuns ou não à língua culta, ou mostrar que o termo em destaque tem sentido diferente do comum, ou isolar uma citação de outra pessoa que está fora do discurso.

Exemplo:

Ele, Fabiano, muitas vezes dissera: “Seu Tomás, vossemecê (sic) não regula. Para que tanto papel? Quando a desgraça chegar, seu Tomás se estrepa, igualzinho aos outros.”

(Graciliano Ramos. Vidas secas)

Anterior Estudo de algumas partículas
Próxima Predicado

Deixe um comentário