Predicado

How Can We Help?

Voltar
Você está aqui:

Toda oração, na gramática, pode ser dividida basicamente em sujeito e predicado. O predicado é aquilo que caracteriza a ação tomada pelo sujeito ou a relação dele com uma característica ou estado.

Tipos de predicado

Os predicados das orações podem ser classificados de três maneiras distintas: nominal, verbal ou verbo-nominal. Veremos cada uma dessas classificações a seguir.

Mapa mental com os tipos de predicados
Tipos de predicados.

Predicado nominal

No predicado nominal, o núcleo do predicado é um nome, ou seja, será sempre um adjetivo, substantivo, pronome ou numeral.

Ainda, tanto o nome quanto os seus adjuntos serão o predicativo do sujeito da oração e o verbo que introduz o tipo de predicado será um verbo de ligação.

Exemplo: “São José dos Campos já foi a cidade das indústrias”.

Nesta oração, podemos classificar que: “São José dos Campos” é o sujeito da oração; “já” é advérbio; “foi” é o verbo de ligação e “a cidade das indústrias” é o predicativo do sujeito.

Predicado verbal

No predicado verbal, o núcleo do predicado será um verbo de ação, ou seja, um verbo intransitivo ou transitivo. Desta forma, não há predicativo neste tipo de predicado.

Exemplos:

“Albert Einstein criou teorias.”

Alguns termos são notáveis:  “Albert Einstein” é sujeito da oração; “criou” é verbo transitivo direto e “teorias” é objeto direto do período.

“O cachorro dormiu”.

Alguns termos são notáveis: “O cachorro” é sujeito da oração e “dormiu” é verbo intransitivo.

Predicado verbo-nominal

O fenômeno do predicado verbo-nominal se dá pela necessidade do narrador em transmitir, ao mesmo tempo, uma ação e um estado do sujeito, uma qualidade do objeto gerada pelo sujeito ou ainda uma opinião do sujeito quanto ao objeto ao mesmo tempo.

Exemplos:

 “Albert Einstein, sinestésico, imaginava velocidades relativísticas.”

Alguns termos são notáveis: “Albert Einstein” é sujeito da oração; “sinestésico” é predicativo do sujeito; “imaginava é verbo transitivo direto e “velocidades relativísticas” é objeto direto.

“Os jurados consideraram os passos do dançarino simples.”

Alguns termos são notáveis: “Os jurados” é sujeito da oração; “consideraram” é verbo transitivo direto; “os passos do dançarino” é objeto direto e “simples” é predicativo do objeto.

Aspectos sintáticos e semânticos

Ambiguidade

A ambiguidade é o fenômeno sintático que acontece quando um termo de uma oração pode ser classificado de duas formas distintas.

Exemplo: “O filho deixou o pai alegre”.

Na oração em questão, “alegre” pode ser classificado como adjunto adnominal do nome “pai” (com o sentido de que o pai sempre foi alegre), ou também pode ser dado como predicativo do objeto dado uma nova qualidade ao “pai” (com o sentido de que o pai ficou alegre).

Alteração do sentido pela ordem das palavras

A ordem das palavras pode facilmente influenciar o sentido da oração.

Exemplo:

Observe a diferença de sentido das orações abaixo, somente pela alteração na ordem das palavras.

  1. “Eu quero um jogo novo de RPG.”
  2. “Eu quero um jogo de RPG novo”

Na primeira oração “novo” refere-se apenas ao termo “jogo”, enquanto, na segunda, o termo “novo” pode se referir aos termos “RPG” ou “jogo”.

Paralelismo sintático

O paralelismo sintático estuda o encadeamento de estruturas sintáticas que possuem o mesmo valor sintático dentro de uma oração.

Exemplo: “O que eu quero do ano: saúde, paz e viajar para novos lugares.”

Observa-se que o paralelismo está presente na listagem de desejos para o ano, na oração anterior, até que a ocorra a quebra desse paralelismo a partir do verbo “viajar”, que interrompe a sequência sintática.

Topicalização

A topicalização de um termo de uma oração se dá ao colocá-lo no início da oração, a fim de enfatizar alguma palavra.

Exemplo: “Depressão, é possível vencê-la”.

Observa-se que “depressão” é complemento do verbo “vencer”, mas, para o caso, o termo “depressão” é enfatizado no início do período.

 

Anterior Pontuação
Próxima Sujeito

Deixe um comentário