A palavra ”Se”

O que você precisa estudar hoje?

Voltar
Você está aqui:

A grande diferença da sintaxe para as outras lentes de estudo da gramática é que nela há a capacidade de uma palavra exercer diversas funções distintas na oração. Por exemplo, a palavra “se” pode assumir várias participações sintáticas diferentes, como partícula apassivadora, índice de indeterminação do sujeito, pronome recíproco, pronome reflexivo e partícula de realce.

Mapa mental contendo as funções da palavra “se
Funções da palavra “se”.

Partícula apassivadora

Na voz passiva sintética, o agente da ação é ocultado da oração e o sujeito continua sofrendo a ação verbal. Assim, a partícula “se” atua como partícula apassivadora.

A voz passiva sintética só consegue atuar perante os verbos transitivo direto e transitivo direto e indireto conjugados na terceira pessoa do discurso.

Exemplos:

“Alugam-se apartamentos.”

Na voz passiva analítica, poderíamos escrever: “Apartamentos são alugados.”, de forma que a transição para a voz passiva sintética se fez por meio do uso da palavra “se”.

“Vendem-se casas”.

Na voz passiva analítica, poderíamos escrever: “Casas são vendidas.”, de forma que a transição para a voz passiva sintética se fez por meio do uso da palavra “se”.

Índice de indeterminação do sujeito

Como índice de indeterminação do sujeito, a palavra “se” atua como uma ferramenta para tornar o sujeito da oração, na terceira pessoa do singular, indeterminado. Esse uso só pode ocorrer com verbos de ligação, transitivo indireto e verbos intransitivos.

Exemplos:

“Precisam-se de parceiros”.

Pode-se observar que o verbo da oração é transitivo indireto e que o sujeito da oração é indeterminado, diferente do caso anterior, no qual podemos explicitar o sujeito ao passarmos para a voz passiva analítica.

“Vive-se bem”.

Pode-se observar que o verbo é intransitivo e que o sujeito da oração é indeterminado.

Pronome reflexivo

Neste caso, o sujeito é agente e paciente da ação verbal. A palavra “se” aparece como o pronome responsável pela ocorrência dessa reflexão, sendo, portanto, um pronome reflexivo.

Exemplos:

“O menino cortou-se”.  

O sujeito “o menino” realiza e sofre a ação de “cortar”.

“A menina olhou-se pelo reflexo no lago”.

O sujeito “a menina” realiza e sofre a ação de “olhar”.

Pronome recíproco

Assim como no pronome reflexivo, o sujeito também pratica e sofre a ação verbal, mas, nesse caso, o sujeito representa um conjunto de indivíduos ou elementos e a ação é realizada nesse conjunto entre seus elementos, de forma que a palavra “se” é um pronome recíproco.

 Exemplos:

“Os atletas parabenizaram-se pela conquista”;

“Amam-se o casal de namorados”.

Partícula de realce

Nesse caso, a partícula “se” tem a função de destacar uma ação, mesmo que seja desnecessária para o entendimento da oração, sendo, portanto, uma partícula de realce.

Essa utilidade para a palavra “se” geralmente aparece em textos literários.

Exemplos:

 “Aos poucos, ao cair da noite, ela se morria aos prantos”;

“Passavam-se os dias e tudo piorava”.

 

 

Próxima Colocação pronominal

Deixe um comentário