Artrópodes

How Can We Help?

Voltar
Você está aqui:

Os artópodes são, vulgarmente, os animais que possuem patas articuladas. Eles compreendem o maior filo animal, quando considerado o número de espécies, englobando mais de 75% das espécies. Sua diversidade é vasta e um grupo chama a atenção, representando 25% de todas as espécies de artrópodes, os Coleopteros ou besouros.

Coleção de besouros
Coleção de besouros

Características gerais

Os artrópodes são animais triblásticos, celomados (esquizoceloma), protostômios, com sistema circulatório aberto e lacunar, ou seja, hemocelas formam lacunas para aumentar a superfície de contato e facilitar as trocas gasosas. Os insetos geralmente não possuem pigmentação sanguínea, mas nos crustáceos é encontrada a hemocianina. Ainda possuem o sistema digestivo completo e simetria bilateral.

O sistema respiratório dos artrópodes pode ser branquial, filotraqueal ou traqueal, e o sistema excretor pode ser formado por glândulas verdes, glândulas coxais e túbulos de Malpighi, de acordo com os subfilos e classes.

Por exemplo, os crustáceos (camarão) possuem brânquias e glândulas verdes, os quelicerados (aranhas) respiram através de pulmões foleáceos ou filotraqueias e excretam através de glândulas coxais, e unirrâmios (insetos) realizam as trocas gasosas por meio de traqueias e eliminam as excretas por meio de túbulos de Malpighi.

Anatomia de um gafanhoto
Anatomia de um gafanhoto

Artrópodes são metamerizados e tagmatizados, ou seja, possuem segmentação corporal em metâmeros e tagmas ou tagmose, que é a fusão de metâmeros. Geralmente essa fusão é mais fácil observar em insetos, pois formam três tagmas bem definidos (cabeça, tórax e abdome). Quando ocorre a fusão de tagmas, como da cabeça e do tórax, ocorre a formação do cefalotórax; e do tórax com abdome, ocorre formação do tronco, tornando mais difícil a correta identificação da tagmatixação.

Anatomia da aranha
Anatomia da aranha

O esqueleto nos artrópodes é externo e quitinoso (formado por carboidratos), com alguns ainda calcificando. Esse esqueleto ou exoesqueleto é rígido e impermeável, servindo para a proteção, evitando a perda de água (evapotranspiração) e dando suporte para a musculatura. O crescimento desses animais é estimulado por condições ambientais e produção hormonal (ecdisona) e chamado de Muda. A ocorrência da Muda é dividida nas seguintes fases: ecdise, que é o rompimento e início da produção de um novo exoesqueleto, e exúvia, que é a cutícula quitinosa vazia e deixada para trás.

Ecdise ou muda de uma cigarra
Ecdise ou muda de uma cigarra

Classificação e reprodução

A divisão do filo Artrópode em subfilos ocorre de acordo com as seguintes características:

Crustáceos

Exoesqueleto quitinoso e calcário (crosta), decápodes (10 patas), 2 tagmas (cefalotórax + abdome), tetráceros (duas antenas), respiração branquial, pigmentação sanguínea com cobre (hemocianina), excretam amônia, olhos pedunculados e compostos, mandibulados, reprodução com desenvolvimento direto (partenogênese) ou sexuada com desenvolvimento indireto e fecundação externa.

Ex.: camarão, lagosta, caranguejo, sirí, cracas e tatuzinho de jardim.

Lagosta vermelha
Lagosta vermelha

Quelicerados

Não mandibulados, com quelíceras, dois tágmas (cefalotórax + abdome), respiração filotraqueal, pigmentação sanguínea com cobre (hemocianina), apresentam glândulas coxais, oito patas, olhos simples, cerdas sensitivas, excretam guanina e ureia, reprodução com desenvolvimento direto (partenogênese – carrapatos) ou sexuada também com desenvolvimento direto e fecundação interna, seguida de deposição de ovos.

Ex.: caranguejo ferradura, aranhas, ácaros, escorpiões, carrapatos.

Carrapato
Carrapato

Unirrâmios (insetos)

Três tagmas (cabeça + tórax + abdome), hexápodes (6 patas), díceros (um par de antenas), apêndices bucais (triturador, picador, sugador, lambedor), sem pigmentação sanguínea (sangue não transporta gases), respiração traqueal (diminui a densidade), excretam ácido úrico, presença (borboleta) ou ausência de asas (piolho), olhos simples ou compostos, reprodução com desenvolvimento direto (partenogênese) ou sexuado, com fecundação interna sofrendo metamorfose (holometábolos) ou incompleta (hemimatábolos) ou sem metamorfose (ametábolos).

Ex.: barata, abelha, borboleta, formiga, joaninha, rola-bosta-africano.

Besouro rola-bosta
Besouro rola-bosta
Anterior Anelídeos
Próxima Cnidários

Deixe um comentário